Produtos Certificados

Viola Beiroa - Portugal

História

Este cordofone pertence à família das Violas de Arame tradicionais portuguesas. Também chamada de Bandurra ou Viola de Castelo Branco sendo originária da região da Beira Baixa e aparece com maior predominância na zona raiana, na faixa leste do distrito de Castelo Branco. Tem cinco ordens de duas cordas de aço que podem ser pisadas ao longo da escala e que afinam no final do braço, na cabeça, como aliás é normal. Uma das diferenças em relação às suas congéneres do norte, sul e ilhas são duas cordas suplementares muito agudas – as requintas ou cantadeiras, que não podem ser pisadas sendo tocadas soltas só com a mão direita, que afinam numa cravelha lateral e que serviriam, sobretudo, para acompanhar o canto.

Entidade Promotora:

Artesãos Certificados

Albiviola – Construção de Instrumentos albiviola@gmail.com
Alfredo Machado 253673255
Artimúsica – Instrumentos Musicais, Lda. 253673151
APC – Instrumentos Musicais, Lda. 253672520 / 915654557

Documentação

Desde 2018

Viola Beiroa - Portugal

História

Este cordofone pertence à família das Violas de Arame tradicionais portuguesas. Também chamada de Bandurra ou Viola de Castelo Branco sendo originária da região da Beira Baixa e aparece com maior predominância na zona raiana, na faixa leste do distrito de Castelo Branco. Tem cinco ordens de duas cordas de aço que podem ser pisadas ao longo da escala e que afinam no final do braço, na cabeça, como aliás é normal. Uma das diferenças em relação às suas congéneres do norte, sul e ilhas são duas cordas suplementares muito agudas – as requintas ou cantadeiras, que não podem ser pisadas sendo tocadas soltas só com a mão direita, que afinam numa cravelha lateral e que serviriam, sobretudo, para acompanhar o canto.

Artesãos Certificados

Albiviola – Construção de Instrumentos albiviola@gmail.com
Alfredo Machado 253673255
Artimúsica – Instrumentos Musicais, Lda. 253673151
APC – Instrumentos Musicais, Lda. 253672520 / 915654557

Documentação

COVID-19

Com o propósito de mitigar a propagação e o impacto da COVID-19 e tendo em consideração as recomendações por parte da Direção Geral da Saúde, a.CERTIFICA não irá realizar visitas técnicas aos produtores nas próximas semanas, pelo que todas as UPA’s que detenham certificações cuja validade se encontra a terminar, as mesmas permanecerão válidas até ao próximo dia 31 de Julho. Saber mais